Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Depois da tempestade...

Há 4 meses, a minha vida, perfeitamente estabilizada, sofreu a sua maior reviravolta... Tudo o que para mim era certo desmoronou-se, foi como se tivesse sido apanhada por um tsunami.

Perdi o chão, toda a estabilidade que julgava ter, enfim, a realidade foi-me mostrada da pior forma possível, sem aviso prévio e numa fase em que (como em muitas outras..., tenho que admitir) estava muito fragilizada. Achei portanto e por tudo isto que o momento não podia ter sido o pior (como se houvesse um momento ideal)...

Da comunicação de que era preciso um tempo, até à saída de casa decorreu pouco mais de uma semana; da decisão de dar um tempo à decisão do divórcio decorreram apenas quatro dias.

Foi tudo tão rápido e inesperado que a minha reacção foi de revolta, mágoa, incompreensão do que me estava a acontecer e, inevitavelmente, uma perda, enorme e brutal, de auto-estima. Afinal a minha vida tinha dado uma volta de 180º, estava tudo virado de "pernas para o ar". A sensação de que me tinham tirado o chão e a minha vida estava agora assente em areia movediça, não me abandonava.

Da separação ao divórcio decorreram apenas três meses... Sim, foi tudo muito rápido e definitivo, não me foi dada qualquer hipótese de perceber se haveria algo a fazer para recomeçarmos juntos.

Perante tal "sentença" fui obrigada a aceitar a minha nova realidade, da pior forma, a frio, sem "anestesia".

Era esta a minha nova, dura e cruel realidade... Sozinha, com um filho e sem oportunidade sequer de me justificar ou poder fazer algo.

Os três meses que decorreram, da comunicação da decisão irreversível até saída do lar que foi nosso, foram, seguramente, os piores da minha vida! Mesmo com o apoio incondicional de amigos e o meu filho junto de mim, não vislumbrava qualquer vestígio de luz "no fundo do túnel". Sentia-me condenada à tristeza, ao fracasso como mulher (apesar de no fundo saber que não era a única responsável...) e não via saída para a minha infelicidade após ter "perdido" o amor da minha vida, após mais de 22 anos de relacionamento (para mim um relacionamento pautado pelo amor, apesar das inúmeras dificuldades e diferenças).

Mas, como depois da tempestade vem a bonança, após a saída da casa onde vivemos mais de dez anos (a minha opção foi sair, nunca me passou pela cabeça permanecer ali), para aquele que é agora o meu lar, tudo se alterou... Posso agora dizer que adquiri uma nova tranquilidade, paz e alegria!

Sinto-me a renascer, com energia renovada e um amor por mim própria que estou a descobrir e a construir, que nunca pensei alcançar.

Não é um caminho fácil mas é o meu e estou determinada a ser feliz..., é a minha única certeza, neste momento.

Conto aqui a minha história na esperança de poder ajudar de alguma forma quem esteja a passar pelo mesmo que eu e tenha perdido a esperança no presente e no futuro.

Amem-se e respeitem-se acima de tudo, e de todos, e verão a vossa vida melhorar... tenho a certeza!

Fiquem bem!!!

 

2 comentários

Comentar post