Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Encontrar a pessoa certa...?

Este texto não é meu mas quando o li identifiquei-me muito, por isso partilho-o convosco:

"Quando depositamos muita confiança ou expectativas numa pessoa, o risco de nos decepcionarmos é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as delas.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas completam-se... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, precisa em primeiro lugar, de não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida. Você aprende a gostar de si, a cuidar de si, e principalmente a gostar de quem gosta de si.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até si.

No final das contas, você vai achar não quem você estava à procura, mas quem estava à procura por si!"

Mário Quintana

Que bom é ser mãe...

Uma Coca-Cola partilhada numa esplanada junto à praia num final de tarde de verão, numa 2ª feira, eu a ler e a escrever, o meu filho a pintar e a tagarelar... há programa melhor do que este?

Especiais são todos os momentos que passamos com os que mais amamos e com quem temos grande afinidade.

Com o meu filho partilho momentos de grande paz, tranquilidade e amor!

É maravilhoso viver momentos assim..., de uma enorme ternura e simplicidade.

Que bom é ser mãe...!!!

Está tudo nas nossas mãos...

"Quem não cresce pelo amor, cresce pela dor."

Esta é uma frase que não é minha, mas concordo inteiramente com o seu sentido.

De facto não há mais formas de crescer e acontece não poucas vezes termos muito amor e não o aproveitarmos para crescer e evoluir enquanto pessoas, valorizando o que temos, sendo necessário perdê-lo para ter a noção do quão importante era para nós e nas nossas vidas. Mas por vezes nem assim temos de imediato consciência da dimensão da perda... só com o decorrer do tempo é que a dor se agudiza, chegando a tornar-se quase insuportável.

Mas, afortunados os que quando percebem o equivoco ainda vão a tempo de o remediar, porque não há pior do que a tristeza de ter cometido um erro e não ser possível voltar atrás para remediá-lo.

Errar é humano e perdoar é divino, mas nem sempre tal acontece e é lamentável quando deixamos o comboio passar e não volta a passar outro com aquele destino.

Por isso é preciso pensar bem antes de tomar atitudes drásticas, porque, por vezes, se tentarmos e não desistirmos à primeira é possível contornar os obstáculos e sair vitorioso perante a adversidade e aí é que reside a verdadeira essência da vida. É com estas conquistas que nos sentimos de facto felizes, realizados e percebemos que afinal tudo vale a pena...

Está tudo nas nossas mãos... só não vale é desistir!!!

 

Como eles crescem...

Todos os que são pais devem partilhar deste sentimento... "como crescem tão depressa os nossos filhos!" Como rapidamente passam de bebés a crianças, logo a adolescentes e seguidamente a adultos e nós sempre a envelhecer... tal é a lei!

Bem, eu ainda só passei a fase de bebé a rapazinho, mas foi tudo muito rápido. Foi num abrir e fechar de olhos e já tem 7 anos (a caminho dos 8).

Passou muito depressa, mas ao mesmo tempo já fizemos tantas coisas juntos... Além dos cuidados básicos, partilhamos horas e horas de riso, dança, palhaçada e brincadeiras, conversas infindáveis, desabafos, "dramas" e medos infantis, planos para o futuro, algumas horas de estudo (isto delegamos mais na escola), toneladas de mimos e afecto e muitas declarações de amor.

Felizmente tem sido tudo muito intenso nestes 7 anos de vida do meu principezinho...

Descontem o exagero, mas mãe é mãe e às mães tudo é permitido quando se trata de falar dos seus filhos e eu não sou excepção, por isso quero dizer-vos que amo o meu filho da forma mais incondicional que pode haver e tento respeitá-lo o mais possível na sua individualidade... e não é fácil porque ponham individualidade nisso... Mas como é maravilhoso o meu, ainda e sempre, bebé!

É incrível como sinto que após estes 7 anos o meu amor por ele ainda está em crescendo assim como a minha admiração e respeito pelo ser gerado dentro de mim com tanto amor e carinho.

É melhor não me alongar mais senão desistem de continuar a ler, mas tenho a certeza que sentem todos o mesmo em relação aos vossos filhos e isso é que é importante.

Amem-nos muito, mas acima de tudo nunca percam a oportunidade de o dizerem, se possível todos os dias e até mais do que uma vez ao dia. Eles agradecem porque receber amor nunca é demais e vocês estão a dar aos vossos filhos o alicerce mais importante para as suas vidas... o amor próprio que fará deles homens e mulheres confiantes e determinados.

O amor não faz mal a ninguém e nunca é em excesso nem nunca ninguém se "perdeu" na vida por ter tido amor a mais. Mas não confundam amor com presentes, porque o amor de que vos falo é o que se traduz em afecto, carinho, beijos, abraços, declarações de amor e todas as formas que tenham de lhes dizerem que os amam e estarão incondicionalmente a seu lado!

Aproveitem cada minuto que possam do crescimento dos vossos filhos e façam-nos felizes o mais possível que eles agradecem e o Mundo também por ter pessoas mais felizes a povoá-lo!

Sejam Felizes...

Há dias assim...

Quem já passou ou está a passar pela mesma situação que eu sabe que nem sempre está tudo bem, há dias assim...

Há dias bons e dias assim... mais difíceis, em que nos sentimos mais tristes, mais sós e impotentes perante a situação que vivemos no momento.

Pois é assim que me sinto hoje!

O que me vale é que bate forte mas passa depressa... e ainda bem, senão não sei como seria.

Pois é... é bom descobrir que somos autónomos e capazes de encontrar a felicidade sozinhos, mas quem não deseja ser feliz, verdadeiramente feliz, tendo um companheiro a seu lado? No fundo é isso que todos desejamos embora muitos não o admitam por lhes ser mais "confortável" fazê-lo.

Pois bem, hoje é a minha vez de admitir que tenho saudades do amor, tenho saudades do "meu amor", tenho saudades de me entender com ele, de o ter a meu lado como amigo, como companheiro de uma vida, enfim... tenho saudades! Mais não digo, para não me arrepender mais tarde...

Há dias assim... todos temos dias assim... e julgo que muitos de vocês me compreendem e se reconhecem nestas palavras.

Fiquem bem e tenham um bom dia, cheio de alegrias!!!

 

Conselho...

Se os conselhos fossem bons não se davam, vendiam-se... mas como não tenho emenda, cá vai um...

A todos os que amam eu digo, não desperdicem o tempo com quezílias e mesquinhices. Amem muito e nunca se esqueçam de o dizer a quem preenche o vosso coração.

Aproveitem a vida e cada momento que ela vos proporciona para estarem junto de quem mais amam.

As relações não são perfeitas mas podem sempre ser melhoradas desde que haja amor e vontade para que tal aconteça. Por isso não se fechem em vós mesmos porque a vida só faz sentido quando nos amamos muito, mas também quando amamos o outro e estamos dispostos a enfrentar os desafios e as dificuldades para ficarmos juntos e progredir sempre.

O amor move montanhas e devia ser o sentimento mais importante das nossas vidas.

Não se percam... Apanhem o comboio do Amor e sigam rumo à Felicidade!!!

Só assim é que a vida vale a pena!

E digo-vos eu... é tão triste quando assim não pode ser...

Boa noite e fiquem bem! 

 

Egoísmo...

Deixem-me partilhar convosco o que penso sobre o egoísmo...

O egoísmo é um dos grandes entraves à felicidade senão mesmo o grande inimigo!

O orgulho é o pai de todos os males, é ele que desencadeia todos os outros defeitos. Não é difícil constatar esta verdade.

É por orgulho que discutimos, é por orgulho ferido que nos magoamos, é o orgulho que dificulta o perdão.

É interessante notar que o orgulho é um exagero do amor-próprio, e o amor-próprio é necessário. Mas o orgulho exagera esse sentimento, que deixa de ser amor para se transformar numa coisa doentia.

O bom orgulho seria o orgulho que se tem dos filhos, o orgulho do lugar onde se nasceu, a satisfação connosco próprios. O problema é saber o limite desses sentimentos.

Eu tenho orgulho do meu filho, mas não posso achar que ele é melhor que os outros. Eu sou patriótica, mas não posso transformar isso em nacionalismo. Fico muito satisfeita comigo mesma quando consigo realizar o que me proponho, mas tenho que tomar cuidado para não me achar mais do que sou na verdade.

Talvez a manifestação mais comum do orgulho no dia-a-dia seja o não saber perder. Isso acontece  todos os dias. Não queremos perder nada para ninguém, não aceitamos ser preteridos em nada.

Vocês não são assim?

É claro que devemos ser competitivos. É bom querer ser sempre mais e melhor. Mas para isso não precisamos "esmagar" quem está por perto. E não podemos competir por competir.

Porque é que dói tanto ficar para trás? Por que é tão amargo o gosto da derrota?

Porque na maioria das vezes perdemos para nós mesmos, e é extremamente difícil reconhecer as nossas falhas, as nossas fraquezas, a nossa incompetência... Por causa do orgulho.

Querem um exemplo disso?

Lembrem-se da última vez em que discutiram com alguém. Vocês já pararam para pensar porque é que contrapõem sempre a crítica numa discussão?

Para evitar que ela se repita. Contrapomos imediatamente a crítica para não termos que ouvi-la de novo. Porque se prestarmos atenção à crítica, teremos que olhar para dentro de nós mesmos. E nada fere tão profundamente o orgulho como olhar para dentro de nós mesmos.

Se nós olharmos para dentro de nós mesmos, se nós vasculharmos interiormente, descobrimos montes de lixo que o orgulho não aceita como sendo nosso.

É o orgulho que nos impede de olhar para dentro de nós mesmos. Pelo orgulho,  achamos que somos "grande coisa",  achamos que somos muito mais do que somos na verdade.

Não é de um dia para o outro que nos vamos livrar de um defeito que nos acompanha há anos. O orgulho é uma verdadeira chaga na nossa trajectória. Mas não podemos mais ser condescendentes connosco próprios.

Não temos, actualmente, a desculpa da ignorância, do desconhecimento. Então já passou o tempo de dizer, simplesmente, “eu sou assim”. 

Nós não somos assim? Podemos todos deixar de ser!

Não há uma fórmula mágica para nos livrarmos de um defeito tão entranhado em nós. É um exercício diário. Analisemo-nos mais, sejamos mais tolerantes. Aceitemos perder, de vez em quando. 

Nós somos especiais, não há dúvida em relação a isso. Mas todos somos especiais.

Respeitemo-nos mais, uns aos outros, e tudo melhorará...

Eugenio de Andrade - 1987

"As palavras estão gastas Já gastámos as palavras pela rua, meu amor, e o que nos ficou não chega para afastar o frio de quatro paredes. Gastámos tudo menos o silêncio. Gastámos os olhos com o sol das lágrimas, gastámos as mãos à força de as apertarmos, gastámos o relógio e as pedras das esquinas em esperas inúteis. Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada. Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro; era como se todas as coisas fossem minhas: quanto mais te dava mais tinha para te dar. Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes. E eu acreditava. Acreditava, porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis. Mas isso era no tempo dos segredos, era no tempo em que o teu corpo era um aquário, era no tempo em que os meus olhos eram realmente peixes verdes. Hoje são apenas os meus olhos. É pouco, mas é verdade, uns olhos como todos os outros. Já gastámos as palavras. Quando agora digo: meu amor, já não se passa absolutamente nada. E no entanto, antes das palavras gastas, tenho a certeza de que todas as coisas estremeciam só de murmurar o teu nome no silêncio do meu coração. Não temos já nada para dar. Dentro de ti não há nada que me peça água. O passado é inútil como um trapo. E já te disse: as palavras estão gastas."

(Eugénio de Andrade – 1987)

Escola da vida!

A vida é maravilhosa, só é preciso estar atento, dar valor às pequenas coisas tais como um gesto, um sorriso, um abraço mais apertado, um elogio, enfim, tudo aquilo que no dia a dia temos tendência para quase nem reparar, tanta é a agitação.

Alguns de vós podem estar agora a pensar que me começo a repetir, mas a verdade é que temos que enfatizar estes pensamentos para que eles se tornem um hábito na nossa vida.

É muito importante, é mesmo importante valorizar o que temos, enquanto o temos, para que não corramos o risco de o fazer quando já for tarde demais...

É nesta perspectiva que agora tento aproveitar os momentos da melhor forma possível, dizer às pessoas, sempre que me deixam, o quanto gosto delas e a importância que têm na minha vida e ser grata por fazer parte deste universo maravilhoso!

O amor e os afectos são a única coisa que governo algum nos poderá tirar ou taxar, por isso neles podemos investir à vontade sem qualquer risco de perda. Mesmo que possa parecer uma perda de tempo, quando damos a pessoas que mais cedo ou mais tarde nos desiludem ou não retribuem, desenganem-se porque além de nunca ser em vão distribuir coisas boas, serviu no mínimo para evoluirmos enquanto pessoas e aprendermos algo (só temos que reflectir para poder tirar dali a lição) e quem recebeu, embora pareça não ter dado o devido valor, mais cedo ou mais tarde vai lembrar-se do que fizemos e aprenderá algo também.

Conclusão... todos nós somos professores e alunos na escola da vida. Há que estar atentos!

É sábado...

É sábado, hoje estou sozinha, mas muito bem acompanhada, claro!

Decidi aproveitar o tempo ameno. Peguei na mochila, num livro, no meu inseparável caderno de desabafos, chapéu e óculos de sol e cá vim eu, rua abaixo, rumo à praia.

Um pingo e meia torrada (um luxo em tempo de crise e dieta) numa esplanada em cima da areia e cá estou eu feliz da vida a sentir-me uma privilegiada!

O mar está calmo, há pescadores pelas rochas e corajosos a banharem-se ao sol (e ao vento também...), a música de fundo é agradável,... falta eventualmente a boa companhia, mas como gosto de estar só e não vale a pena estragar o momento a pensar no que falta, aproveito, tudo o que tenho e é magnifico, e desfruto.

A vida é mesmo bela na sua simplicidade.

Sempre pensei que era assim, mas agora posso comprovar que quanto mais simples, mais maravilhosa é a vida. Bem... tudo depende com que olhos a vemos!

Agora é assim que eu a vejo... e estou fascinada!

É maravilhoso descobrir a simplicidade das coisas aos 42 anos...

Desejo a todos um bom fim de semana, no mínimo tão extraordinariamente simples como o meu...

 

Pág. 1/2