Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

O que fazer perante a crise...

Sinto que muitas pessoas andam mais tristonhas por causa da crise e das suas consequências.

De facto vivemos uma fase complicada onde muitas coisas começam a faltar, mas não desesperem amigos... Esta é também e acima de tudo uma oportunidade para todos renascermos e aprendermos a dar valor ao que realmente nos preenche a alma e enche o coração de paz e alegria... O AMOR!

Já que agora é mais difícil dar presentes, distribuam muito carinho, afecto, atenção e amor a todos os que vos rodeiam e aos que se cruzem no vosso caminho!

Não custa nada... enche a alma e o coração de quem recebe e se começarmos todos a adoptar esta filosofia de vida, é muito provável que consigamos, senão mudar o mundo, pelo menos mudar a nossa vida e a dos que nos rodeiam...

A minha proposta para hoje é que comecem já a distribuir sorrisos a todos e alegria. Se todos o fizermos podemos criar uma corrente de Amor e melhorar os nossos dias...

Comecem já a praticar com os amigos, colegas de trabalho e vizinhos. Não precisam de fazer como o meu filho que agora aperta a mão de todos os vizinhos com quem se cruza no prédio... É vê-lo dizer "bom dia" ou "boa tarde" e esticar a mão para cumprimentar.

Devo dizer-vos que os vizinhos reagem muito bem e eu fico cheia de orgulho por estar a educar um ser humano tão maravilhoso (perdoem-me a falta de modéstia, mas qual é a mãe que assim não é... eu sou é, provavelmente, menos discreta).

Contem-me as reações que obtiveram!

Fico a aguardar...

Essência...

A base de um relacionamento é a admiração e nada melhor do que um companheiro que te admire, com todos os teus defeitos!

Conversas como as cerejas...

O que eu gosto de conversas como as cerejas... aquelas em que falamos sobre tudo e que nos lembramos e abordamos os mais variados temas.

Acontece-me isso com uma amiga com quem tenho jantares que duram nunca menos de 4 horas e já chegaram quase às 6 horas de duração.

Sabes quem és amiga...

Falamos dos filhos (é inevitável para duas mães babadas como nós), do trabalho, da família, das emoções e de tudo o que nos vem à cabeça, mesmo que a sequência não tenha grande lógica. Falamos da vida!

Partilhamos medos, alegrias, tristezas... sem criticas!

Falamos de tudo, menos do que não tem importância, como por exemplo da vida dos outros.

Confesso ter compaixão por quem não sabe falar de mais do que da vida dos outros... como têm uma vida pouco preenchida e o pensamento direccionado para um só tema, que devia ser o de menos importância, principalmente quando se trata de criticar...

De quem nos rodeia devemos aproveitar o que de melhor têm, talvez até como exemplos a seguir, e ignorar o que de menos bom possam fazer.

Todas as pessoas, sem excepção, merecem o nosso respeito e consideração e lembrem-se... na maioria das vezes não sabemos o que as leva a ter atitudes que possam ser consideradas menos correctas. Por isso não podemos julgar comportamentos de ânimo leve!

Aproveitem a vida e as coisas boas que tem e deixem os julgamentos para quem de direito!

Se espalharmos amor a probabilidade de o recebermos de volta é infinitamente maior!

Desfrutem das coisas simples e boas da vida, tal como uma boa conversa...

SEJAM FELIZES!!!

 

Príncipe...

"Um príncipe não é aquele que tem um palácio e muito dinheiro mas sim aquele que respeita, protege e ama a sua princesa como ninguém!"

Sejam todos, os príncipes das vossas companheiras!!!

Virtudes!

"O orgulho e o egoísmo podem impedir a tua felicidade e nem te dás conta disso!"

A Humildade é das maiores virtudes do ser humano.

Vamos todos ser mais humildes e honestos connosco próprios e com os que amamos...

 

Depois da tempestade...

Há 4 meses, a minha vida, perfeitamente estabilizada, sofreu a sua maior reviravolta... Tudo o que para mim era certo desmoronou-se, foi como se tivesse sido apanhada por um tsunami.

Perdi o chão, toda a estabilidade que julgava ter, enfim, a realidade foi-me mostrada da pior forma possível, sem aviso prévio e numa fase em que (como em muitas outras..., tenho que admitir) estava muito fragilizada. Achei portanto e por tudo isto que o momento não podia ter sido o pior (como se houvesse um momento ideal)...

Da comunicação de que era preciso um tempo, até à saída de casa decorreu pouco mais de uma semana; da decisão de dar um tempo à decisão do divórcio decorreram apenas quatro dias.

Foi tudo tão rápido e inesperado que a minha reacção foi de revolta, mágoa, incompreensão do que me estava a acontecer e, inevitavelmente, uma perda, enorme e brutal, de auto-estima. Afinal a minha vida tinha dado uma volta de 180º, estava tudo virado de "pernas para o ar". A sensação de que me tinham tirado o chão e a minha vida estava agora assente em areia movediça, não me abandonava.

Da separação ao divórcio decorreram apenas três meses... Sim, foi tudo muito rápido e definitivo, não me foi dada qualquer hipótese de perceber se haveria algo a fazer para recomeçarmos juntos.

Perante tal "sentença" fui obrigada a aceitar a minha nova realidade, da pior forma, a frio, sem "anestesia".

Era esta a minha nova, dura e cruel realidade... Sozinha, com um filho e sem oportunidade sequer de me justificar ou poder fazer algo.

Os três meses que decorreram, da comunicação da decisão irreversível até saída do lar que foi nosso, foram, seguramente, os piores da minha vida! Mesmo com o apoio incondicional de amigos e o meu filho junto de mim, não vislumbrava qualquer vestígio de luz "no fundo do túnel". Sentia-me condenada à tristeza, ao fracasso como mulher (apesar de no fundo saber que não era a única responsável...) e não via saída para a minha infelicidade após ter "perdido" o amor da minha vida, após mais de 22 anos de relacionamento (para mim um relacionamento pautado pelo amor, apesar das inúmeras dificuldades e diferenças).

Mas, como depois da tempestade vem a bonança, após a saída da casa onde vivemos mais de dez anos (a minha opção foi sair, nunca me passou pela cabeça permanecer ali), para aquele que é agora o meu lar, tudo se alterou... Posso agora dizer que adquiri uma nova tranquilidade, paz e alegria!

Sinto-me a renascer, com energia renovada e um amor por mim própria que estou a descobrir e a construir, que nunca pensei alcançar.

Não é um caminho fácil mas é o meu e estou determinada a ser feliz..., é a minha única certeza, neste momento.

Conto aqui a minha história na esperança de poder ajudar de alguma forma quem esteja a passar pelo mesmo que eu e tenha perdido a esperança no presente e no futuro.

Amem-se e respeitem-se acima de tudo, e de todos, e verão a vossa vida melhorar... tenho a certeza!

Fiquem bem!!!