Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Egoísmo...

Deixem-me partilhar convosco o que penso sobre o egoísmo...

O egoísmo é um dos grandes entraves à felicidade senão mesmo o grande inimigo!

O orgulho é o pai de todos os males, é ele que desencadeia todos os outros defeitos. Não é difícil constatar esta verdade.

É por orgulho que discutimos, é por orgulho ferido que nos magoamos, é o orgulho que dificulta o perdão.

É interessante notar que o orgulho é um exagero do amor-próprio, e o amor-próprio é necessário. Mas o orgulho exagera esse sentimento, que deixa de ser amor para se transformar numa coisa doentia.

O bom orgulho seria o orgulho que se tem dos filhos, o orgulho do lugar onde se nasceu, a satisfação connosco próprios. O problema é saber o limite desses sentimentos.

Eu tenho orgulho do meu filho, mas não posso achar que ele é melhor que os outros. Eu sou patriótica, mas não posso transformar isso em nacionalismo. Fico muito satisfeita comigo mesma quando consigo realizar o que me proponho, mas tenho que tomar cuidado para não me achar mais do que sou na verdade.

Talvez a manifestação mais comum do orgulho no dia-a-dia seja o não saber perder. Isso acontece  todos os dias. Não queremos perder nada para ninguém, não aceitamos ser preteridos em nada.

Vocês não são assim?

É claro que devemos ser competitivos. É bom querer ser sempre mais e melhor. Mas para isso não precisamos "esmagar" quem está por perto. E não podemos competir por competir.

Porque é que dói tanto ficar para trás? Por que é tão amargo o gosto da derrota?

Porque na maioria das vezes perdemos para nós mesmos, e é extremamente difícil reconhecer as nossas falhas, as nossas fraquezas, a nossa incompetência... Por causa do orgulho.

Querem um exemplo disso?

Lembrem-se da última vez em que discutiram com alguém. Vocês já pararam para pensar porque é que contrapõem sempre a crítica numa discussão?

Para evitar que ela se repita. Contrapomos imediatamente a crítica para não termos que ouvi-la de novo. Porque se prestarmos atenção à crítica, teremos que olhar para dentro de nós mesmos. E nada fere tão profundamente o orgulho como olhar para dentro de nós mesmos.

Se nós olharmos para dentro de nós mesmos, se nós vasculharmos interiormente, descobrimos montes de lixo que o orgulho não aceita como sendo nosso.

É o orgulho que nos impede de olhar para dentro de nós mesmos. Pelo orgulho,  achamos que somos "grande coisa",  achamos que somos muito mais do que somos na verdade.

Não é de um dia para o outro que nos vamos livrar de um defeito que nos acompanha há anos. O orgulho é uma verdadeira chaga na nossa trajectória. Mas não podemos mais ser condescendentes connosco próprios.

Não temos, actualmente, a desculpa da ignorância, do desconhecimento. Então já passou o tempo de dizer, simplesmente, “eu sou assim”. 

Nós não somos assim? Podemos todos deixar de ser!

Não há uma fórmula mágica para nos livrarmos de um defeito tão entranhado em nós. É um exercício diário. Analisemo-nos mais, sejamos mais tolerantes. Aceitemos perder, de vez em quando. 

Nós somos especiais, não há dúvida em relação a isso. Mas todos somos especiais.

Respeitemo-nos mais, uns aos outros, e tudo melhorará...