Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Respeito...

"Respeito é a base. Não há confiança, não há amor, não há amizade se não houver respeito."

Boa noite!!!

A minha escolha musical... #34#

Eu sei
Sara Tavares

http://youtu.be/IjVZckmXUk4

Quem sou eu...

"Sou uma pessoa feliz,

Amo muito a vida

E dela sou aprendiz;

Tenho várias paixões,

Mas, como qualquer um,

Possuo imperfeições;

Se os caminhos desta vida

Ainda não sei de cor,

Pelo menos busco,

A cada dia,

Tornar-me alguém melhor."

Dennys Távora

É assim que eu sou...

Jamais digas...

"Jamais digas: 'Nunca farei isso!'

... Aprendi durante a minha existência que a estrada da vida é longa e as circunstâncias podem levar-nos justamente ao que 'nunca' queríamos fazer!"

Acabar é mais fácil ainda...

"Chega-se sempre à primeira frase, ao primeiro número da revista, ao primeiro mês de amor.

Cada começo é uma mudança e o coração humano vicia-se em mudar. Vicia-se na novidade do arranque, do início, da inauguração, da primeira linha na página branca, da luz e do barulho das portas a abrir.
Começar é fácil. Acabar é mais fácil ainda. Por isso respeito cada vez menos estas actividades.

Aprendi que o mais natural é criar e o mais difícil de tudo é continuar.

A actividade que eu mais amo e respeito é a actividade de manter.
Em Portugal quase tudo se resume a começos e a encerramentos. Arranca-se com qualquer coisa, de qualquer maneira, com todo o aparato. À mínima comichão aparece uma «iniciativa», que depois não tem prosseguimento ou perseverança e cai no esquecimento. Nem damos pela morte.
É por isso que eu hoje respeito mais os continuadores que os criadores. Criadores não nos faltam. Chefes não nos faltam. Faltam-nos continuadores. Faltam-nos tenentes. Heróis não nos faltam. Faltam-nos guardiões.
É como no amor.

A manutenção do amor exige um cuidado maior. Qualquer palerma se apaixona, mas é preciso paciência para fazer perdurar uma paixão. O esforço de fazer continuar no tempo coisas que se julgam boas — sejam amores ou tradições, monumentos ou amizades — é o que distingue os seres humanos.

O nascimento e a morte não têm valor — são os fados da animalidade. Procriar é bestial. O que é lindo é educar.
Estou um pouco farto de revolucionários. Sei do que falo porque eu próprio sou revolucionário. Como toda a gente. Mudo quando posso e, apesar dos meus princípios, não suporto a autoridade.
É tão fácil ser rebelde. Fica tão bem ser irreverente.

Criar é tão giro. As pessoas adoram um gozão, um malcriado, um aventureiro. É o que eu sou. Estas crónicas provam-no. Mas queria que mostrassem também que não é isso que eu prezo e que não é só isso que eu sou.
Se eu fosse forte, seria um verdadeiro conservador.

Mudar é um instinto animal. Conservar, porque vai contra a natureza, é que é humano.

Gosto mais de quem desenterra do que de quem planta. Gosto mais do arqueólogo do que do arquitecto. Gosto de académicos, de coleccionadores, de bibliotecários, de antologistas, de jardineiros.
Percebo hoje a razão por que Auden disse que qualquer casamento duradoiro é mais apaixonante do que a mais acesa das paixões.

Guardar é um trabalho custoso.

As coisas têm uma tendência horrível para morrer. Salvá-las desse destino é a coisa mais bonita que se pode fazer.

Haverá verbo mais bonito do que «salvaguardar»?

É fácil uma pessoa bater com a porta, zangar-se e ir embora. O que é difícil é ficar. Isto ensinou-me o amor da minha vida, rapariga de esquerda, a mim, rapaz conservador. É por esta e por outras que eu lhe dedico este livro, que escrevi à sombra dela.
Preservar é defender a alma do ataque da matéria e da animalidade.

Deixadas sozinhas, as coisas amarelecem, apodrecem e morrem. Não há nada mais fácil do que esquecer o que já não existe. Começar do zero, ao contrário do que sempre pretenderam todos os revolucionários do mundo, é gratuito. Faz com que não seja preciso estudar, aprender, respeitar, absorver, continuar.

Criar é fácil. As obras de arte criam-se como as galinhas. O difícil é continuar."

Miguel Esteves Cardoso, in 'As Minhas Aventuras na República Portuguesa'

 

Que triste é esta incapacidade de lutar para manter o que nos faz feliz...

Que triste é trocar a felicidade pela ilusão de um instante...

Que triste é a inércia...

Que triste é abdicar do amor por preguiça, comodismo e egoísmo...

Há aqui muito para reflectir... basta querer...

A vida é um eco...

"A vida é um eco.

Se você não gosta do que está a receber, observe o que está a emitir."

Morre lentamente...

"Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca, não arrisca vestir uma cor nova e não fala com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o escuro ao invés do claro e os pingos nos "is" a um redemoinho de emoções, exactamente a que resgata o brilho nos olhos, o sorriso nos lábios e coração aos tropeços.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto, para ir atrás de um sonho.

Morre lentamente quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, ouvir conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte, ou da chuva incessante.

Morre lentamente quem destrói seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, nunca pergunta sobre um assunto que desconhece e nem responde quando lhe perguntam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.

Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade."

Pablo Neruda 

Não podia estar mais de acordo...

Vivam hoje!

Arrisquem hoje!

Façam Hoje!

Não se deixem morrer lentamente.

Lutem, lutem muito, se preciso for, mas nunca desistam da felicidade!!!

Lembrar...

Idade para ser feliz...

"Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para utilizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.

... Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo de novo, e quantas vezes foi preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa..." 

Mário Quintana

É importante não perder a oportunidade...

Sejam felizes todos os dias da vossa vida!!!

Bonito...

"Bonito é estar de bem com a vida!"

Bom dia!!!