Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Aos poucos a vida mostra...

"Aos poucos a vida vai-te mostrando por quem você deve lutar, e de quem você deve desistir."

image.jpg

Com o tempo tudo se esclarece, tudo se clarifica, tudo se revela... e muitas vezes a verdade não é exatamente como se apresenta aos nossos olhos, é bem diferente. Quando vemos com os olhos do coração tudo ganha outra forma, outro significado!

Erros cometidos...

Cometemos muitos erros em nome daquilo a que chamamos dignidade e amor próprio, que no fundo nada tem a ver com isso mas sim com orgulho, medo e insegurança, sentimentos que, todos misturados, e mesmo sentidos individualmente, resultam numa formula explosiva que nada mais faz do que nos afastar de quem e do que gostamos, assim como de uma felicidade maior.

Temos medo demais, damos demasiada importância a vozes externas, que por muito boa vontade que tenham nunca conhecem a realidade tal como nós próprios, em vez de silenciamos e ouvirmos a nossa voz interior, as palavras que vêm do coração e da nossa consciência. Se queremos mudar a nossa vida, se queremos de facto ser mais felizes temos que nos escutar mais, sempre e em primeiro lugar e seguir de acordo com os nossos sonhos, os nossos melhores e maiores desejos e, muito importante, respeitando sempre a nossa essência e aqueles que são os nossos valores morais.

"Mais vale perder um minuto na vida do que a vida num minuto", ou seja, mais vale parar e reflectir do que agir fora dos nossos princípios e convicções... O que é efémero, como o próprio nome indica, passa depressa, mas o que é verdadeiro, e sentido com todo o amor, fica para sempre, não morre jamais...

Vale a pena pensar nisto e no que é mais importante para cada um de nós!

O amor é...

16893949_TFaBQ.jpg

Apenas e só o amor nos dá isto... Apenas quem ama conhece a verdadeira felicidade, indestrutível, aconteça o que acontecer, mesmo perante todas as dificuldades e contrariedades.

A verdadeira felicidade está no ser e não no ter. Quem ama é feliz independentemente de ter muito ou pouco e é por isso que há testemunhos emocionantes de pessoas que pouco têm, materialmente falando, mas que são um exemplo de felicidade, alegria e bem estar. Eu conheço pessoas assim!

Boa noite!!!

Fisica Quântica...

"

Transformação Quântica do Pensamento

Artigo de Moacir Sader

O homem nos seus aspectos psicológico e social é formado basicamente em face das influências externas ou possui capacidade de influir de modo significativo no seu interior e no meio externo?

Segundo o autor Ken Keyes em seu livro: “O Centésimo Macaco”, estudos com macacos selvagens japoneses, realizados durante mais de 30 anos, revelaram uma situação que prova a transmissão energética do pensamento. No ano de 1952, os pesquisadores deram batatas-doces sujas de areia aos macacos da ilha Koshima. Eles não comeram porque não gostaram; entretanto, uma macaca chamada Imo levou as batatas a um riacho e lavou-as para comer. Ensinou essa descoberta aos outros macacos da sua tribo, os quais passaram a agir do mesmo modo. A grande descoberta deu-se então em 1958, quando determinado número de macacos já sabia e utilizava-se o benefício da descoberta: colónias de macacos de outras ilhas começaram também a lavar as batatas. Os pesquisadores concluíram que, quando uma quantidade de indivíduos, que adquiriram determinado conhecimento, atinge um certo número ainda não definido cientificamente, esse novo conhecimento passa a ser transmitido de uma mente para outra em forma de energia e à distância.

Essa é mais uma experiência científica que vem provar a possibilidade dos pensamentos poderem ser sintonizados por outros por serem transmitidos energeticamente. Embora concorde que o pensamento de um grupo seja mais forte no processo de expansão energética, estou convencido, mesmo na esfera individual, que o pensamento sai da pessoa, atingindo o mundo externo em forma de energia.

Nessa linha de análise, vale referenciar o excelente Documentário “Quem somos nós?”, produzido por Willian Arntz e Betsy Chasse, com depoimentos de renomados cientistas sobre a Física Quântica.

A personagem que atua na história desenvolvida no Documentário passa por um processo de descobertas que a leva experienciar profunda transformação sobre a sua visão da vida e sua capacidade de se modificar a partir de nova conduta de pensamento. Enquanto isso, vários cientistas concedem depoimentos, manifestando as suas ideias e descobertas importantes da Física Quântica que estão a transformar profundamente os conceitos até então conhecidos.

Os estudos a partir da Física Quântica visam, entre tantas possibilidades, o conhecimento mais amplo do homem sobre si mesmo, a sua origem e o seu destino após a existência terrena. Do Documentário em destaque, retirei algumas reflexões dos cientistas entrevistados, referindo-me a seguir.

O homem acabou por ser colocado, como vítima, ou melhor, indefeso, do contexto externo. Nesse sentido, o materialismo e as religiões acabaram por tirar a capacidade do ser humano agir efetivamente, porquanto, segundo as visões propostas pelo materialismo e pelas religiões, ao homem não cabe o poder decisório da sua vida. Contestando essa ótica equivocada, as experiências da Física Quântica têm colocado nas nossas mãos a responsabilidade de influir de modo significativo no nosso interior e também fora de nós. Com esse enfoco, cito uma passagem do Documentário:

“Estamos presos a certos preceitos sem saber disso. É um paradoxo. O materialismo moderno tira das pessoas a necessidade de se sentirem responsáveis pelas suas vidas, assim como a religião! Mas eu acho que se você levar a mecânica quântica a sério, verá que ela coloca a responsabilidade nas nossas mãos e não nos dá respostas reconfortantes...

A física quântica calcula apenas possibilidades. Em vez de pensarmos nas coisas como possibilidades, temos o hábito de pensar que os objetos que nos cercam existem sem a nossa contribuição, sem a nossa escolha... Você precisa banir essa forma de pensar e reconhecer que no mundo material, as cadeiras, as mesas, as salas, os tapetes - não são nada além de possíveis movimentos da consciência.

E eu estou a escolher momentos nesses movimentos para manifestar a minha experiência atual. É algo radical que precisamos compreender, mas é muito difícil, pois achamos que o mundo já existe independentemente da nossa experiência. Mas não é assim e a física quântica é bem clara.

O próprio Heisenberg, depois da descoberta da física quântica, disse que os átomos não são objetos, são tendências. Em vez de pensar em objetos, você deve pensar em possibilidades. Tudo é possibilidade subconscientemente!”

Todas as ocorrências do universo material são possibilidades, moldadas pelo nosso consciente/inconsciente, coexistido, cada qual, em vários lugares ao mesmo tempo. Nós escolhemos (inconscientemente) onde vê-las. Já está a ser documentada em laboratórios de experiências quânticas a localização de um mesmo objeto em vários lugares simultaneamente, inclusive com registos fotográficos.

A todo o momento as pessoas estão a afetar inconscientemente a realidade externa. Se não o fazem conscientemente é porque não acreditam que possam realizá-lo. As pessoas formam pensamentos de intenção positiva, mas logo apagam, pois convencem-se, quase sempre, tratar-se de simples tolice. Acabam por dizer ou pensar que não conseguem realizar. Mas, se você acreditar com todo o seu ser que pode andar sobre a água, isso acontecerá. É como pensamento positivo, que é um conceito maravilhoso. Mas geralmente temos uma névoa de pensamento positivo cobrindo uma enorme massa de pensamento negativo. Pensar positivo apenas disfarça o nosso pensamento negativo.

Vítimas da falta de crença em nós, no nosso potencial criador, e reféns dos condicionamentos sociais e religiosos, ficamos presos na uniformidade da realidade, pois se ela é completa e eu sou insignificante, não posso alterá-la. Mas, se a realidade é a minha possibilidade - possibilidade da própria consciência – aí sim, podemos alterá-la. No pensamento antigo, não podíamos mudar nada, pois não tínhamos papel na realidade. Ela já estava lá, feita de objetos que se moviam de acordo com certas leis. A matemática determinava como reagiriam em determinada situação. Nós não tínhamos papel algum.

A nova ciência quântica apresenta-nos outras alternativas. Assim, na nova visão quântica, eu escolho a experiência: Dessa forma eu crio minha própria realidade (...) As pessoas continuam a trabalhar, aborrecendo-se, almoçando (...) Elas vão para casa e vivem a vida como se nada de especial estivesse a acontecer, pois é assim que se acostumaram; existe essa incrível mágica mesmo à sua frente e elas não vêem.

Os cientistas expressam no Documentário um alerta para nosso despertar, dizendo:

Por que continuamos a recriar a mesma realidade? Por que continuamos a ter os mesmos relacionamentos? Por que continuamos a ter os mesmos empregos repetidamente? Tudo isso porque acreditamos que não temos controle algum, achamos que o mundo externo é que nos influencia. A ciência moderna, entretanto, diz-nos que o que acontece dentro de nós é o que vai criar o que acontece fora.

O Documentário “Quem somos nós?” termina mostrando a personagem principal desperta para um novo mundo, uma realidade criada a partir de sua influência mental consciente por ter descoberto seu grande potencial criador. De uma forma simples, o cientista Amit Goswami, através de seu depoimento no Documentário, define a Física Quântica como sendo a Física das possibilidades. E plena de possibilidades presentes e futuras, a personagem sucumbe a sua vida, até então condicionada por questões religiosas, psicológicas e sociais, e renasce para uma existência de participação criadora e livre, um ser de pensamento quântico.

Vale a pena destacar, que foram mostradas, no Documentário, algumas experiências feitas pelo cientista japonês Masaru Emoto, que muito ajudaram a personagem a optar por vivenciar pensamentos criadores.

Dr. Masaru demonstrou, cientificamente, aquilo que já se sabia pelos estudos espiritualistas: que os sons, palavras, pensamentos e sentimentos influenciam as pessoas que os emitem e também as outras pessoas. Ficou demonstrado, nas experiências, que a estrutura molecular da água se altera face aos pensamentos e sentimentos. A técnica usada por ele consiste na exposição da água a esses agentes. Depois, ela é congelada e os cristais formados são fotografados.

Foi colocada a água entre caixas sonoras que emitiam uma oração e, depois, a voz de Hitler. Após algum tempo, os dois recipientes com água foram congelados, fotografando-se os cristais que se formaram a partir das duas coletas, obtendo-se as seguintes imagens:

Água exposta à oração.

Água exposta à voz de Hitler

Numa outra experiência, a água de um recipiente foi exposta ao som da música de Bach e, noutra coleta, submetida ao ritmo Heavy Metal. Veja os resultados:

Água exposta à música de Bach.

Água exposta à música de Rock Heavy Metal.

Agora, o Dr. Emoto expôs também a água a sentimentos/pensamentos positivos e negativos. Os resultados foram os seguintes:

Água exposta à sentimentos de amor
e de admiração.

Água exposta à sentimentos negativos.

Com base nas imagens obtidas pelo cientista, tanto as palavras, quanto os pensamentos e os sentimentos afetam a água. Considerando que somos compostos em cerca de 70% de água, fica evidente a influência que sofremos em virtude dos nossos pensamentos e sentimentos, assim como afetamos igualmente as outras pessoas e, consequentemente, somos influenciadas pelos pensamentos e sentimentos delas. Incontestável é que tudo que existe, as pessoas, os animais e o planeta são influenciados pelo que pensamos e sentimos. As pessoas, mais que consequências do meio em que vivem, assumem papéis determinantes sobre tudo o que existe, embora, na maioria dos casos de forma inconsciente. Do mesmo modo que podemos ser vítimas dos nossos pensamentos e sentimentos negativos, da mesma maneira, o planeta Terra tem sido vítima de muitas energias negativas oriundas desses pensamentos e sentimentos, tão amplamente difundidos pelos meios de comunicação.

Então, é com grata alegria que vemos cientistas como Masaru Emoto e inúmeros outros ligados à Física Quântica a falar sobre a temática que os espiritualistas já sabiam há muito; mas, que, por questões de barreiras religiosas, nem sempre era considerada pela maioria. O que mais se evidencia a partir da Física Quântica é que cientistas, até então voltados para os conceitos cartesianos, ampliaram o leque de pesquisa para áreas tão próximas das visões espiritualistas.

É comum questionarmo-nos sobre o que seja concretamente a Física Quântica; afinal, parece ser um assunto distante da nossa realidade. Será que é mesmo? Almir Caldeira, no seu artigo, “Física Quântica: o que é e para que serve?”, trata da origem da Física Quântica, dizendo que:

Já faz cem anos que Planck teve abrir mão de uma expressão inusitada para explicar os seus resultados da medida da intensidade da radiação emitida por um radiador ideal - o corpo negro - levando-o assim a estabelecer o valor de uma nova constante universal que ficou conhecida como a constante de Planck. A partir daí, e também em função de outras experiências que apresentavam resultados igualmente surpreendentes no contexto da mecânica de Newton e do eletromagnetismo de Maxwell, os pesquisadores do começo do século passado viram-se obrigados a formular hipóteses revolucionárias que culminaram com a elaboração de uma nova física capaz de descrever os estranhos fenómenos que ocorriam na escala atómica; a mecânica quântica.

Muitos pensam que a Física Quântica é algo distante da nossa realidade do dia-a-dia, contudo, quando observamos com atenção, descobrimos que seus avanços tecnológicos estão disponíveis atualmente para a maioria das pessoas. O autor citado demonstra a presença da Física Quântica na vida moderna ao dizer no seu artigo que:

O leitor certamente se surpreenderia se disséssemos que sem a mecânica quântica não conheceríamos inúmeros objetos com os quais lidamos corriqueiramente hoje em dia. Só para se ter uma ideia podemos mencionar o nosso aparelho de CD, o controle remoto das nossas TVs, os aparelhos de ressonância magnética nos hospitais ou até mesmo o micro-computador que agora usamos na elaboração deste artigo. Todos os dispositivos electrónicos usados nos equipamentos da chamada high-tech só puderam ser projetados porque conhecemos a mecânica quântica. A título de informação, 30% do PIB americano é devido a estas tecnologias (...) Apesar da sua origem mais sutil, a radiação eletromagnética está também presente na nossa experiência diária. Dependendo da sua freqüência ela é conhecida como: onda de rádio, FM, radiação infravermelha, luz visível, raios-X e muito mais.

Ainda sobre a importância da Física Quântica na vida terrena atual, reproduzo parte do artigo “Passado, Presente e Futuro da Física Quântica: Digressões sobre a Importância da Ciência Básica”, escrito por Peter A.B. Schulz e Marcelo Knobel:

Ninguém que viveu no primeiro quarto do século XX poderia sequer desconfiar que estudos aparentemente tão longínquos da realidade, como espectros de corpo-negro, efeito fotoelétrico, espectros de emissão e absorção atómicos, e outros objetos de estudo daquele período, formariam a base de uma teoria, que seria responsável direta pelo futuro desenvolvimento não só do Laser, mas também de equipamentos electrónicos, computadores e uma enorme quantidade de outras maravilhas que fazem parte de nosso quotidiano.

A Física Quântica, pelas suas visões discordantes da tradicional ciência e também de dogmas religiosos, tem sido alvo de críticas de diversos cientistas e religiosos; contudo, como nos diz Almir Caldeira:

“Muitos autores, por não se sentirem confortáveis com a chamada interpretação ortodoxa ou de Copenhagen da mecânica quântica, tentam criar teorias alternativas para substituí-la. Entretanto, cabe salientar que, apesar da sua estranheza, a mecânica quântica não apresentou qualquer falha desde que foi elaborada na década de 20, o que não nos proporciona evidência experimental que aponte para onde buscar as questões capazes de derrubá-la.”

Além das diversas descobertas proporcionadas pela Física Quântica, vários cientistas desta nova ciência estudam a influencia dos nossos pensamentos e sentimentos para fora de nós. Este é o caso do cientista Amit Goswami, um dos entrevistados no Documentário: “Quem somos nós?”. Este cientista indiano, radicado nos Estados Unidos (Professor de Física na Universidade do Oregon e doutor em residência no Instituto de Ciências Abstratas em Sausalito, CA), defende a tese (citada no artigo: “Física Quântica: Explicando o espírito” de Wander Rodrigues) de que:

“Algo só existe no plano material porque foi criado, primeiramente, noutros planos. Os corpos são criados a cada momento pelas escolhas que são feitas”.

Wander Rodrigues detalha mais sobre os pensamentos do cientista Amit Goswami com algumas das suas citações:

“Pode parecer meio radical para os materialistas. Mas Goswami está absolutamente convencido. A ponto de afirmar que a cura das doenças, de qualquer doença, é possível no plano da consciência. É o que ele chama de cura quântica. Através desse mecanismo, um cancro pode ser curado pelo pensamento. "Um cancro escondido no corpo não é ainda um fato concreto, material. Sendo assim, podemos curá-lo". A ideia tem estreita relação com o princípio, por exemplo, da homeopatia ou dos florais de Bach. Para essas disciplinas, a doença aparece muito antes de se manifestar no corpo físico. A doença, como a entendemos, começaria no plano emocional, psicológico, nos corpos mais sutis do homem. Sendo assim, nada nos impediria de curá-la antes mesmo que se manifeste fisicamente. É como se existisse um corpo, que Goswami chama de vital, que formaria o mapa do corpo físico. "Os chakras são os lugares onde as formas se criam. A física quântica está a dizer que podemos confiar na medicina dos chakras. É aí que a medicina oriental e a ocidental se encontram.”

Aprendemos ao estudar o Reiki (livro "Os milagres do Reiki" de Moacir Sader) que a tese de Goswami está plenamente correta, as doenças aparecem primeiro no corpo etéreo (ou etérico), réplica do corpo físico. As doenças originadas no corpo etéreo são oriundas dos corpos emocional e mental, manifestando-se depois, se não curadas a tempo, no corpo físico. Atualmente, muitos terapêuticos holísticos estão a utilizar a foto Kirlian para detectar as doenças antes de sua manifestação e para verificar a plena cura das doenças tratadas.

Segundo fatos históricos, a foto Kirlian teria surgido em 1939 na cidade de Krasnodar, na ex-União Soviética, quando Semyon Davidovitch Kirlian construiu a primeira máquina de fotografia Kirlian no mundo. No entanto, sabe-se que a primeira máquina de eletrofotografia foi construída em 1912 no Brasil pelo padre gaúcho Landel de Moura. Segundo informação publicada no Site www.guardioesdaluz.com.br:

Como a máquina que ele {Padre Landel} havia inventado fotografava e revelava algo que, para a Igreja não se coadunava muito com a sua doutrina, os planos originais e a própria máquina criada pelo Pe. Landel foram confiscados por ela e atualmente encontram-se em local “ignorado”.

Como funciona a fotografia kirlian?

Uma máquina de fotografia Kirlian ou eletrofotografia possui a condição de captar impressões sutis do nosso corpo etérico. O corpo etérico seria o mapa energético do nosso corpo físico. Nele estariam presentes todos os órgãos e sistemas presentes no nosso corpo material, só que aqui de forma energética, assim como os canais de meridianos. A máquina Kirlian é capaz de gerar uma voltagem extremamente alta (da ordem de alguns milhares), porém com uma amperagem baixa, causando com isso, à volta de qualquer corpo, o chamado efeito corona, que seria um halo luminoso visível de coloração azul esverdeado. Porém, quando este campo elétrico entra em contato com o campo eletromagnético do nosso corpo etérico, ele é alterado e consegue captar impressões sutis deste corpo, registando cores e formas completamente diferentes das usualmente vistas no simples efeito corona (...) Este tipo de fotografia é conhecida como fotografia da aura, ou do campo energético ou bioelétrico (o corpo etérico).

O que é detectado com a eletrofotografia?

Pela análise de uma fotografia Kirlian, é possível diagnosticar uma série de problemas, antes mesmo de que eles cheguem a manifestar-se fisicamente. Ao nível da saúde, podem ser feitos diagnósticos de infecções, intoxicações, inflamações, processos degenerativos, prováveis distúrbios nos diversos órgãos e sistemas e até casos de cancro. (...) Quanto à análise da parte emocional e psicológica da pessoa, é possível diagnosticar casos de depressão, angústia, tristeza, raiva, ciúme, além de ser possível observar estados alterados de consciência, mediunidade ou para-normalidade e energias intrusas.

Através da foto de um dos dedos, embora possa ser de vários dedos ou até mesmo do corpo inteiro, ficam evidenciados, entre outros, os problemas já existentes e até as futuras doenças ainda não manifestadas no corpo físico; tudo isso é obtido a partir da analise das cores reveladas. Assim:

“(...) quando surge uma coloração verde dentro da polpa dos dedos, há indícios que aquela pessoa possui tendência a fobias ou a síndrome do pânico. Fraturas de cor escura, também na polpa dos dedos, indicam cancro. Estados depressivos são vistos quando as linhas áuricas falham e surge uma abertura grande de um ou dos dois lados da foto. A paranormalidade de uma pessoa pode ser observada na forma de cor laranja distribuída por toda a polpa e aura do dedo ou na forma de pequenas meia luas nas extremidades superior e inferior dos dedos.”

"

O problema não está no outro...

Falo agora apenas e só baseada na minha experiência, mas acredito que este meu pensamento é comum a muitos...

Aceitar os erros a falhas não é fácil e há fases da vida em que é mesmo muito difícil e exige um grande trabalho interior feito com humildade e caridade, em primeiro lugar a acima de tudo, connosco próprios.

Quando não conseguimos aceitar a nossa imperfeição, mais difícil ainda é aceitar a do outro, seja ele quem for, porque transferimos para ele a tristeza e a frustração de não sermos melhores. É nestes momentos que tudo se complica, porque com estas atitudes corremos muitas vezes o risco de ofender pessoas importantes para nós, apenas e só porque estamos mal.

Tudo começa em nós, e sobre isto já não tenho qualquer dúvida, e projetamos sempre no outro aquilo que somos e sentimos por nós, quer seja bom ou mau.

Quem não está bem consigo jamais conseguirá estar bem com o outro. Quem não se ama jamais amará o outro. Quando alguém desrespeita o outro, isso acontece apenas e só porque não se respeita a si.

Nós refletimos a energia que produzimos, apenas e só, por isso quando algo não nos corre de feição, 99.99% das vezes a verdadeira causa está em nós e não no outro, quanto mais não seja porque damos espaço para que tal aconteça. Isto é bem explicado pela física quântica...

 

 

 

O sorriso mais bonito...

"O sorriso mais bonito é aquele que vem do nada. Solto, livre e sincero."
image.jpg

Sorriam!

Bom dia!!!