Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Momentos a dois...

As viagens de casa para a escola e da escola para casa são o nosso momento, aquele em que falamos sobre tudo, partilhamos dificuldades, emoções, alegrias e tristezas. O que muitos, talvez a maior parte, fazem na hora da refeição, nós fazemos no carro - "privilégio" de sermos uma família de dois. Somos confidentes um do outro e entre nós não há tabus, falamos sobre qualquer assunto e todas as dúvidas - das mais intimas às mais universais, das mais simples às mais complicadas, de um pré adolescente de 11 anos (ele detesta que eu diga isto) -, são bem vindas e encaradas com naturalidade (gostava de poder partilhar algumas delas convosco, mas temo que ele não fosse gostar...). Respondo a tudo, da melhor forma que sei e posso, tendo em conta a idade, e partilho, também eu as minhas fragilidades, alegrias e tristezas.

Oiço e apercebo-me que muitos pais acham que não se pode partilhar tudo com os filhos e as fragilidades dos adultos devem ser disfarçadas e escondidas, mas reconheço que não sou assim... Admito perante ele que erro, que estou triste, que me dececiono, tal como acontece com ele, e choro sem pudor quando não dá para evitar. Desejo que o meu filho seja um homem com alma, que vive a vida intensamente, sem negar as emoções sejam elas quais forem e independentemente da opinião dos outros a respeito. O objetivo é que ele se ame em primeiro lugar e acima de tudo, apesar das fragilidades, com todas as qualidades e defeitos que tem - todos temos -, que se respeite e admire tal como é, para crescer forte e saudável, capaz de enfrentar tudo com confiança, certo de que nada acontece por acaso e podemos sempre enriquecer como seres humanos.

Para já e até à data, sinto-me muito feliz com o que vejo a acredito que ele estará mais bem preparado, para o futuro, do que eu. Uma coisa ele sabe... pode sempre contar comigo para o esclarecer e orientar!

A perfeição não existe! Sei apenas que sou a melhor mãe que posso e sei, que me esforço por ser sempre melhor, cometo erros, mas amo-o profundamente, daqui até à Lua e da Lua até aqui!

O meu filho, a melhor parte de mim!