Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Hoje saí a sorrir...

"A ansiedade e o medo envenenam o corpo e o espírito."

Bernard Shaw

É muito importante acalmar a mente. Temos o dever, para o nosso bem, de dirigir a nossa força e determinação para os seus mais excelsos objectivos. A passividade é a responsável por muito do nosso mal-estar porque na nossa essência todos queremos mudar, para melhor, e não nos contentamos com uma vida vazia, triste e sem sentido. É claro que não somos todos iguais e uns acomodam-se mais do que outros, mas chega sempre o momento em que não dá mais para aguentar e a mudança torna-se inevitável, para alcançar a tão desejada paz e tranquilidade e conquistar uma vida baseada no amor, que já todos sabemos, ou devíamos saber, que é a essência de tudo!

 

No meu caso concreto, e apetece-me agora falar um pouco dele, acomodar-me é algo que não faz parte de mim. Se calhar por isso é que a minha vida tem sido atribulada e pautada pela busca constante e incansável da felicidade e do amor, acima de tudo. É porque nunca me conformei com pouco, emocionalmente falando, quando sempre soube que tinha tudo para ter muito, que passei por tudo o que passei; porque as pessoas que comigo se cruzaram na vida não partilhavam da minha filosofia de ser e viver.

Reconheço que sou muito exigente no que diz respeito aos sentimentos e às emoções e como são eles a minha maior riqueza, não me permito viver pela metade. De tudo isto, ou talvez não, ainda não sei, resultou ter ficado sozinha com o meu filho e ter começado a vida do zero, mas desta vez apenas e só de acordo com aquilo que para mim realmente importa... o AMOR.

Como já vos disse, materialmente falando, perdi grande parte da vida boa que tinha, mas essa não foi definitivamente a minha maior perda, porque nunca foi o aspeto que mais valorizei... Apesar da dor profunda e de todo o sofrimento, sempre percebi que tinha que ter passado por tudo isto para renascer como mulher e para nascer para um amor maior, e essencial na vida de qualquer pessoa, o meu amor próprio. Quis acreditar que podia não ter sido assim, podia não ter sido tão doloroso, tão sofrido, mas como já vos disse inúmeras vezes, quem não cresce pelo amor, inevitavelmente terá que crescer pela dor, e como não soube aproveitar a primeira opção, não tive outra alternativa senão despertar através da dor profunda, que chegou a ser dilacerante.

Posso agora dizer, passados quase já dois anos e meio, que reconheço, embora sempre o tenha admitido, que foi de facto o que de melhor me aconteceu, porque de outra forma nunca teria experimentado estados de felicidade suprema e transcendental, uma vez que sempre dediquei demais a minha vida aos outros deixando os meus objectivos e sonhos para segundo pleno. Não me arrependo de nada, até porque não vale a pena, mas agradeço, a cada instante e com toda a humildade, tudo o que me acontece na vida, de bom e de menos bom também, porque é nas dificuldades e perante elas que valorizo cada vez mais tudo o que de bom tenho.

Hoje deu-me para isto, mas não foi em vão... é que, apesar de ser 2ª feira, aquele dia estipulado como difícil para a maioria das pessoas, o amanhecer na minha casa foi de "festa" e a felicidade com que saí de casa era tal que não conseguia parar de sorrir, não só com os lábios mas também com o olhar, agradecida que estava ao Universo por me permitir, depois de tanto trabalho, luta e dor, chegar a um estado de bem estar tal, que pensei ser possível apenas nos meus sonhos e fantasias... mas afinal, posso comprovar na primeira pessoa que existe e é possível ser sentido até numa 2º feira, dia de trabalho!