Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

Renascer aos 40

Para os que depois dos 40 começam uma vida nova... e para todos os outros também... "Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre..., tal é a lei."

O amor é assim...

Ao amor, que poderá ou não perdurar no tempo. Depois de tudo o que aconteceu, de todas as coisas pelas quais passamos, juntos e separadamente, pode continuar a existir, pelo menos no bem querer!

Estou a falar de um amor que nasceu praticamente no primeiro encontro, desde a primeira vez em que os olhares se cruzaram; de um amor com mais de duas décadas e que deste o inicio foi forte e verdadeiro; um amor que passou por dificuldades, contrariedades e muita pressão, mas que resistiu, e quer resistir até hoje..., até ao grande golpe - não poder ser vivido plenamente, não poder ser falado, não poder ser gritado aos sete ventos -, a separação.

Percebo hoje, muito trabalho, sofrimento, dor e tempo depois, que tudo isto foi inevitável, para evitar um mal maior e para nos obrigar a crescer, a amadurecer e a ver tudo de outra forma, com mais sentimento, com mais intensidade, com mais amor. Juntos não conseguimos fazê-lo por isso tivemos que passar por esta dor para avançar. Foram muitas as palavras ditas da boca para fora - em momentos de profunda dor, mágoa e revolta - que feriram de forma dilacerante, mais do que um punhal a perfurar-nos o corpo. Não soubemos lidar com a situação que se arrastava há já algum tempo e não tivemos a capacidade de ler o olhar, o silêncio e nas entrelinhas do que era dito... olhamos apenas, sem ver o que de facto estava para além do que a vista alcançava. Mas a vida é assim..., ensina-nos sempre, a cada instante, e mostra-nos, mais cedo ou mais tarde, toda a verdade - tudo é como tem que ser. É tudo uma questão de tempo, de saber esperar, de não contrariar o que diz o coração, mesmo que a cabeça não entenda da mesma forma. É preciso aceitar os acontecimentos e o que o futuro trouxer.

Muitos apontam-me o dedo e acusam-me de estar a perder bons anos da minha vida agarrada a um amor que já não existe, a não ser na minha cabeça, no meu coração, na minha alma, a troco de nada. A todos eles eu digo e repito que o meu respeito maior e primeiro é por mim, pelo que sinto - que é acima de tudo um sentimento meu, que me pertence enquanto existir.

Com este afastamento, descobri-me, conquistei-me e amo-me agora - finalmente - em primeiro lugar e acima de tudo. Com toda esta mudança, transformação, aprendi também a amar de forma livre, sem cobranças e sem exigências. Gostava que pudéssemos voltar a ser felizes juntos, lado a lado, unidos pelo amor infinito que nos caracterizou, mas se tal não acontecer continuarei a desejar simplesmente o melhor, tal como desejo para mim,... que seja sempre FELIZ!

3 comentários

Comentar post